Prosa de mãe e filha,

Prosa de mãe e filha,
É tão pequenino,
Ainda não sou capaz de sentir,
Mas algo pulsa dentro de mim,
Cresce, mexe,
Mexe e cresce,
Descobri!
Afagos na barriga sem fim,
Quarto rosa?
Amarelo? Lilás?
Eu não sou tradicional,
Talvez erva-doce,
Ou leve tom chá,
Tudo deve estar pronto
Para o seu nascer,
O novo despertar.

Arcos? Lacinhos?
A hora do banho,
Quem irá me ajudar?
A vovó, atenta,
Aos primeiros passos
À mamãe de primeira viagem
Aconselhar.

Vem o embrulhinho
Como um pacotinho
Trazido pelos braços do pai,
Chora criancinha, faminta,
Já sabendo aonde poderá se alimentar.

Mamãe, os meus pequenos olhos estão abertos,
Nada dispersos
E mesmo sem muito enxergar
Conheço o seu cheirinho,
Em seu colo eu quero me ninar.

Eu estava acostumada
Com a água morna,
Lugar em que me carregava
Antes de eu chegar.

Portanto, não se desespere se eu estranhar.

Deixe-me assim, embaladinha,
Toda rosada,
Ainda em posição fetal,
Há nove meses
O seu corpo era a minha casa,
Já vou crescer,
Cresci!
Faço pirraça, subo nos móveis,
_Filha, desça daí!
Perdeu os primeiros dentes,
Farei um cordão,
Nossa, como está comprida, menina!
Mãe,
Quero mochila nova,
Compra um caderno?
Um quarto de princesa?
Um livro encantado!
Quero uma festa.

O dever será em casa,
Vêm as amigas!
Filha,
Você se lembra daquele dia?
Boa noite, mamãe,
Não tranque o portão,
Volto tarde!
Cuidado filha,
Não se demore demais,
_ Esse é o meu namorado!
Mas já?
O nome dele é João,
E o que faz?
Ah, mãe, ele surfa.

Tudo acabou…
A fase da desilusão.

Filha, isso passa.

_ Ele partiu o meu coração.

Mamãe está aqui.

Mãe, ligue para os salgados,
Por favor!
A festa de colação.

_ Que orgulho, querida!
Marcha nupcial,
Papai me leva no altar.

Estou aqui, minha filha,
Para o que precisar,
A casa vazia,
Álbuns para recordar,
E mais tarde mesa
Cheia de bolos, doces e gostosuras,
O primeira neto está por chegar.

Qual será o nome?
O que iremos aproveitar?
Boa noite, vovó,
Até mais, mamãe!
Eu ligo pra senhora
Pra marcamos o jantar!

#keyla_fogaca#prosa#literariamente

Mensagens Relacionadas

Introdução ao réquiem

Introdução ao réquiem
Venham todos e prestem atenção
Vou falar sobre uma maldição
Alguns a chamam de vida
E outros de causa perdida
Sim é sobre os amores
E tudo o q...

(...Continuar Lendo...)

#ygor_mattenhauer#prosa#literariamente

Contato Leal

Contato Leal
o seu sorriso me fez encantar
e o nosso acaso de caso sem nos notar
e vc atoa só para dançar
e mostro que fui feito para amar
O seu corpo todo a me desejar (...Continuar Lendo...)

#marcus_menezes#prosa#literariamente

Revista Prosa Verso e Arte O Aquém – Eduardo Galeano Revista Prosa Verso e Arte Por Revista Prosa Verso e Arte Literatura

Revista Prosa Verso e Arte
O Aquém – Eduardo Galeano
Revista Prosa Verso e Arte
Por Revista Prosa Verso e Arte
Literatura
©Joel Robison
Estimado senhor Futuro,
(...Continuar Lendo...)

#eduardo_galeano#prosa#literariamente

Sou poeta-escritor

Sou poeta-escritor, entre os meus melhores livros de prosa destaco o Moralista e Ensaio sobre a loucura, são livros que desconstroem ilusões, não são confortos para almas deprimidas.
Edito revis...

(...Continuar Lendo...)

#evan_do_carmo#prosa#literariamente

A Rosa tão rosa Que se desdobra em prosa Da minha vontade incessante Que busca em ti a todo instante Como o baile das pétalas ao vento Um prazer e ternura que são meu intento...

A Rosa tão rosa
Que se desdobra em prosa
Da minha vontade incessante
Que busca em ti a todo instante
Como o baile das pétalas ao vento
Um prazer e ternura que são meu int...

(...Continuar Lendo...)

#virgilio_alvares_da_silva#prosa#literariamente

Eu era canto negro de candeia Ela, epopeia e prosa, poesia e canção Poema de Eddas, Valquíria de Odin De certo, luara por onde andara E amara por amarar

Eu era canto negro de candeia
Ela, epopeia e prosa, poesia e canção
Poema de Eddas, Valquíria de Odin
De certo, luara por onde andara
E amara por amarar
Eu, Quelé do Paje...

(...Continuar Lendo...)

#tiago_fehagan#prosa#literariamente