Pense nas casualidades que fizeram você gostar de quem se gosta

“Pense nas casualidades que fizeram você gostar de quem se gosta, conhecer quem se conhece.
Pense nas milhões de escolhas que levaram você a estar lendo este conto.
Ou em como cada ação pode ser modificada em um pequeno instante.
Pense nas aleatoriedades que levaram Cecília a conhecer Enzo.
A maioria das pessoas não se dá conta de que um simples acaso pode mudar qualquer rumo.
Em uma escolha, seu inimigo pode virar seu chefe, ou em outra, seu chefe pode transformar-se no amor de sua vida.
Vai entender..
Era dezembro de 1963.
Uma eventualidade numa fila de cinema.
Um encontro.
Uma história.
Tempos difíceis.
E o escondido passara a ser comum e deliciosamente perigoso.
Ela lia histórias para ele, já ele cantarolava pra ela.
E assim o tempo passava.
Enzo era um destemido viajante que possibilitou Cecília a ser desafiada, encarando um mundo fora de sua zona de conforto.
Mas não podiam ficar juntos.
Enzo era liberdade bruta e ela um diamante lapidado de estímulos bem pensados.
Cecília era medrosa, acima de tudo.
Como uma história de final premeditado, a pequena Cecília viu-se obrigada a partir.
Medo.
Prometera que seria a última vez que veria seu amado.
Numa bela tarde nas montanhas, ela chorava, desarmada.
“-Não se preocupe, Cecília.
Não se preocupe que nada reluz mais do que o brilho do teu sorriso.” – disse Enzo enxugando suas lágrimas.
Por um momento ela acreditou e sorriu pela última vez.
O pôr do sol era um aviso e o nascer dele uma advertência imutável.
Ah Enzo, mal sabias tu que nunca mais tornaria a ver Cecília.
Enzo nunca conseguira compreender o que fizera de errado para ser esquecido daquele jeito.
Mas é assim mesmo, pessoas vem e vão, entretanto algumas não conseguem partir.
São as mesmas que não conseguem expulsar o que já deveria ter ido embora há muito tempo.
Não se consegue encontrar a força com que as outras pessoas têm de desatar esses nós de convivência com tamanha facilidade.
Você tem medo de quê uma vida não seja suficiente e que só lá no final perceba o que a sensibilidade nunca lhe pareceu consentir.
Que a gente morre.
E renasce.
Re-descobre.
Re-conquista.
E morre de novo, mas nunca é igual.
Era para ser revigorante, evolução obrigatória.
Era pra ser.
Observa-se que o coração palpita, mas está morto.
As ilusões o abastecem e a esperança o deixa pulsando leve.
Encontra-se um vazio.
Levando todos os pensamentos de toda uma vida à uma falência múltipla de um todo.
É como um sopro.
É um fantasma emocional que transpira arrependimentos e lhe faz notar que não existe apenas um rumo, eles são infinitos.
Esta é Cecília no dia de hoje.
Ela não gostaria tanto assim dele se não fosse aquele cinema em 1963.
Não o conheceria.
Não visitaria a velha sala de cinema a cada década mesmo sabendo que aquele instante nunca retornaria.
Saudade é aquele sentimento egoísta o qual não queremos que a pessoa saia de perto e não admitimos que elas possam ser felizes distantes de nós.
Enzo não conseguiu ser feliz.
Ela também não.
Apenas com ele, Cecília aprendeu que o futuro é incerto e o presente é realmente um presente.
Uma dádiva.
Mas o futuro deles nunca existiu.
Não se pode reprimir a coragem e fazê-la ser menor que o medo.
1963.
O trem saía às 12hs e tanto ele quanto Enzo partiram sem Cecília.
Medo de novo.
A única coisa que Cecília recordava era de que Enzo sempre ria alto quando James Dean roubava um beijo da moça bonita do filme.
Enzo nunca a roubara um beijo, mas iria pedi-la em casamento assim que se acomodassem no tal trem, contudo ela nunca aparecera.
Cecília tinha medo de que não fosse o que queria para si ou que não realizaria seus sonhos de menina ao lado de Enzo.
Que covardia.
Mal sabia ela que se jogasse suas malas num vagão rumo ao Leste de algum lugar, nunca seria tão feliz e completa.
Ah Cecília, vocês teriam filhos lindos.
Ela ainda lembra-se do olhar cinzento de Enzo a convencendo de que qualquer problema seria resolvido num abraço e palavras confortáveis.
Ela não esquecera os lugares da poltrona vermelha, assim como o número da plataforma, o mês, o ano..
Ela apenas esquecera de que o tempo não era seu amigo e que apesar de viver por tantos anos, não sabia de onde tirar algumas histórias felizes para contar aos seus netos.
Ah Cecília, quantos desenganos.
Mesmo depois de décadas ela ainda consegue ouvir as gargalhadas dele ecoando nas paredes do tal antigo cinema.
O que a deixa momentaneamente feliz e a faz se arrepender amargamente por não se entregar de corpo e alma a loucura quando teve chance de ser plenamente feliz.
Indo ao encontro de Enzo na plataforma 7 naquele dia de chuva…”

#adorei#amandaseguezzi#conhecido

Mensagens Relacionadas

Será que você suportaria me conhecer de verdade

Será que você suportaria me conhecer de verdade? Pois sou assim. Gosto de pessoas verdadeiras. As que vivem na mentira e não cometem erros são desprezíveis. Não gosto do morno ou do mais ou menos. Nun…

(…Continue Lendo…)

#andrebabo#adorei#conhecido
Você só sente o doce por que conhece o salgado

Você só sente o doce por que conhece o salgado

Você só sente o doce por que conhece o salgado; o quente por causa do gelado. Lembre-se: os dias tristes são prelúdios de felicidade.

#bonitas#motivacao#poemas#rafaelbaltresca#adorei#conhecido

Todos falam de você Pelo menos uma vez na

Todos falam de você
Pelo menos uma vez na vida
Alguém vai te conhecer
Alguns irão desejar não ter conhecido
É uma das coisas mais difíceis de traduzir
Às vezes sua distân…

(…Continue Lendo…)

#gravidez#poema#shandycrispim#adorei#conhecido
Você conhece um verdadeiro romântico pelo que ele demonstra

Você conhece um verdadeiro romântico pelo que ele demonstra

Você conhece um verdadeiro romântico pelo que ele demonstra, pois romancistas não gostam de guardar rosas gostam de dá-las.

#mayconbentes#adorei#conhecido

Antes de te conhecer afastei todos eles Logo que

Antes de te conhecer afastei todos eles
Logo que te beijei já queria que você ficasse
O que eu gosto de você é que você sabe quem você é
O que você gosta de mim é que eu sei o que nã…

(…Continue Lendo…)

#adorei#marinadiamandis#conhecido
Você pode até contar as maravilhas de Deus sem verdadeiramente conhece-lo

Você pode até contar as maravilhas de Deus sem verdadeiramente conhece-lo

Você pode até contar as maravilhas de Deus sem verdadeiramente conhece-lo, mas você nunca ficará maravilhado se não tiver um relacionamento com ele.

#primeira#comunhao#marcelowagnerdossantos#adorei#conhecido