Nossos espaços

Nossos espaços
Sempre tive a seguinte filosofia: as pessoas vão até onde a gente deixa.
Sou eu que coloco os limites.
É você que diz até onde a outra pessoa pode ir.
Ninguém pode forçar a barra ou uma situação.
Ninguém pode forçar amizade, cumplicidade ou intimidade.
As coisas precisam ser naturais, simples, saudáveis, afinal, todo mundo está aqui para ser feliz, para conquistar todo dia alguma serenidade.
É ou não é?
Percebo que hoje em dia tudo anda meio sem limites.
Um se mete na vida do outro, o outro se mete na vida do um.
Assim, sem a menor cerimônia, sem pedir licença.
E não gosto.
Sabe por quê? Sou reservada.
Quem me vê por aí dizendo nas redes sociais hoje-comi-risoto-de-aspargos ou essa-é-a-Junoca ou estou-de-férias ou estou-na-Jamaica ou olha-que-linda-minha-sapatilha ou qualquer outra coisa não me conhece.
Isso não é me conhecer.
Para você ter uma ideia, não é todo mundo que convido para ir na minha casa.
Acredito naquele lance de energia.
Gosto que sente no meu sofá quem tem energia boa.
Gosto que conheça minha intimidade quem eu quero.

Apesar de escrever tanto e sobre as coisas de dentro, me revelo para poucos.
E acho, de verdade, que a internet dá margem para as pessoas acharem que conhecem as outras.
Só pelo que falam.
Só pelo que tuitam.
Ninguém se dá conta que o "conhecer" é olho no olho, é tom de voz, é muito mais do que um bando de palavras perambulando por aí.
Mesmo porque na internet todo mundo é lindo e feliz.
Ou é chato e reclamão.
Essas duas categorias são as que mais se destacam: o que reclama de tudo ou o que diz que tudo é lindo e maravilhoso.
Extremos.

Quer saber um fato curioso? Fiz aniversário na segunda-feira.
Recebi muito carinho e vários parabéns.
Mas sabe quantas pessoas ligaram? Poucas.
Poucas mesmo.
A maioria usou a internet (Facebook, Twitter, email, MSN) ou mensagens no celular.
Fiquei feliz com tantas felicitações, não estou reclamando, apenas fazendo uma observação: pouca gente ligou.
Pouca gente ouviu minha voz.
Antigamente, o telefone era o maior meio de comunicação.
Você atendia e do outro lado alguém cantava "parabéns pra você".
Você atendia e tinha uma telemensagem (lembra?).
Hoje em dia a internet deixa tudo mais rápido.
E mais impessoal.
Desculpa, mas eu acho.
Adoro cartão, carta, bilhete.
Toque.
Fico pensando como vai ser no futuro.

A internet aproxima e afasta, já falei sobre isso uma vez.
É prática, sim.
Mas até que ponto é realmente um meio de aproximação? Em um email você não sente a pessoa.
Em uma carta, sim.
Vê a letra, sente a emoção.
Palavras digitadas são frequentemente mal interpretadas.
Dia desses aconteceu isso comigo.
Facebook.
Falei uma coisa, uma pessoa interpretou errado e veio dando voadora.
Feio.
Não entendeu o que quis dizer.
Mas como diz minha mãe "explicação a gente dá para porteiro".

Quem me conhece sabe exatamente como sou.
E não tenho, mesmo, que me explicar para ninguém.
Mesmo porque as pessoas juram que nos conhecem.
Acham que podem sair palpitando a torto e a direito na nossa vida, nas nossas coisas.
Quer um exemplo? Ontem, do nada, uma pessoa me chamou no MSN.
Uma pessoa que eu não conheço e não fazia a menor ideia de como tinha meu MSN, afinal, uso ele para trabalho.
Pouca gente tem, apenas amigos, colegas e família.
Então, era de manhã, eu estava bem atrapalhada trabalhando e resolvendo pepinos gigantes.
A pessoa chegou sem bater na porta, perguntei quem era, ela se apresentou e perguntou "é difícil publicar um livro?".
Falei que sim, é.
E ela automaticamente (por eu não ter dado atenção ou explicado melhor a dificuldade, talvez) disse "você parece menos seca nos seus textos".
Como assim? Percebe o absurdo? Eu estou TRABALHANDO.
Chega uma pessoa do além, que nem sei como tem meu MSN, faz uma pergunta e quer que eu ofereça um chá com biscoitos?
Insisto no seguinte: todo mundo tem que ter noção.
De espaço.
Aqui termina o meu, ali começa o seu.
Não sou seca, pelo contrário.
Só não gosto - e nunca gostei - de invasão, você gosta? A gente não consegue nada forçando as coisas.
Ninguém vai gostar de mim se eu forçar uma situação.
Mas você vai gostar (ou não) de mim se eu for natural, verdadeira, honesta.
Se eu for exatamente como a vida é: simples.

#clarissa_correa#filosofia

Mensagens Relacionadas

A filosofia de uma pessoa não é melhor expressa em palavras

A filosofia de uma pessoa não é melhor expressa em palavras; ela é expressa pelas escolhas que a pessoa faz. A longo prazo, moldamos nossas vidas e moldamos a nós mesmos. O processo nunca termina até …

(…Continue Lendo…)

#escolhas#eleanor_roosevelt#filosofia#escolha
A Filosofia foi uma valvula de escape para

A Filosofia foi uma valvula de escape para

A Filosofia foi uma valvula de escape para eu não cair em depresão e através dela eu adquiri muito conhecimento e aprendi muita coisa que irei usar para o resto de minha vida.

#filosofia#rahvok

Se você se interessa muito por filosofia

Se você se interessa muito por filosofia, prepare-se para ser motivo do riso e escárnio de todos. Se persistir em seu interesse, saiba que essas mesmas pessoas depois irão admirar você. (…) E que, se …

(…Continue Lendo…)

#sorriso#filosofia#irvin_d_yalom__arthur_schopenhauer
A filosofia não é um modo de conhecer o mundo

A filosofia não é um modo de conhecer o mundo

A filosofia não é um modo de conhecer o mundo, mas o de nos conhecermos no mundo.

#valter_da_rosa_borges#filosofia